Dividir para Governar. Nosso Atual Sistema de Governo

Dividir para governar é uma tática de estratégia muita antiga e é utilizada amplamente pelos governantes do mundo todo com o intuito de controlar os povos e direcioná-los, é sobre isso que vamos falar hoje.

A versão em vídeo deste artigo você encontra no nosso Canal do Youtube.

Para quem já assistiu o filme 1984 de George Orwell, sabe muito bem do que estou falando, mas para você que ainda não assistiu este filme, a coisa funciona mais o menos assim.

– Cria-se um inimigo imaginário.

– Implanta o medo nas pessoas, sob pretexto deste inimigo atacar.

– Oferece uma solução simples para se proteger desse inimigo.

– Fornece esta solução embutindo nela o que mais queira implantar.

– E voalá, agora você tem uma massa de pessoas que pensam que dependem de um governo para protegê-las e fornecer todo tipo de soluções que nem sequer existiam antes do problema ser intencionalmente criado.

Existem diversas variações deste método, é claro, incluindo o método onde você cria duas linhas ideológicas com dois líderes que as representam, inclusive dentro de um mesmo país, mas por trás dos dois representantes está o verdadeiro arquiteto do esquema, que agora controla tudo por medo.

Se você achou este tipo de controle parecido com algum que você tem contato atualmente, pode ser que não seja mera semelhança.

Qual seria outra forma de governar?

Como você pôde perceber, o método de separar para governar se aproveita da ignorância das pessoas, então a outra forma de governar seria através da educação das pessoas, seu esclarecimento.

Mais um momento, pois as coisas não são tão simples quanto parecem, pois o próprio engodo da manipulação é uma forma de instrução, e aqui não usei a palavra educação de propósito, pois educação tem uma definição diferente de instrução, ou ensino.

A palavra educação em sua origem tem o significado, segundo Platão, de trazer para fora o que a pessoa já tem dentro, ou seja, não é enfiar para dentro uma série de informações, mas antes trazer de dentro o que aquela pessoa tem de melhor, seu lado humano, seus talentos e vocações.

O medo vem do sentimento de ignorarmos algo, e assim não sabemos que surpresa pode vir dali visto que ignoramos totalmente o processo de como as coisas funcionam, a educação aí, entra como o fator que vai trazer luz a escuridão, que vai destruir nossos medos através da sabedoria, e aqui usei sabedoria e não conhecimento, de propósito também.

Pois os dois guardam a mesma relação de antes, o conhecimento vem de fora, a sabedoria surge de dentro, e não estou querendo dizer que conhecimento não é importante, ele é, mas sem a sabedoria e discernimento prévio, qualquer conhecimento serve, inclusive aquele que vai nos deixar ainda mais confusos, como o tema dividir para governar do qual estamos falando.

Como saber a diferença entre conhecimento e sabedoria?

Aqui as coisas ficam mais difíceis, pois teríamos aqui uma opção mais fácil e outra que exige um esforço pessoal.

– Ter um governo de sábios que buscam a evolução das pessoas. (não é muito comum hoje)

– Buscar esse saber em fontes descontaminadas, em obras clássicas e que perduraram com o tempo.

A característica de perdurar com o tempo aqui é a chave, pois existe uma forte relação entre o que é atemporal e o que é válido. As formas de pensar equivocadas tendem a ser retificadas ou apagadas mesmo por novas formas de se pensar, mas tem uma sabedoria atemporal que fica mais atual com o passar do tempo, os clássicos.

Vou deixar aqui uma lista de autores cuja sabedoria transcende os séculos e até os milênios.

Lista de alguns autores de obras de filosofia clássicas:

– Platão

– Helena Petrovna Blavatsky ou HPB

– Buda

– Confúcio

– Marco Aurélio

Obviamente existem uma infinidade de autores e obras clássicas, mas com estes listados já é o suficiente para iniciar a jornada para fora da caverna, boa sorte!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *