O tempo psicológico e o tempo eterno

Buda o Iluminado nos falou vários aspectos da vida humana mas seu tema principal foi o sofrimento humano e os motivos deste sofrimento.

Em uma de suas mensagens Buda falou sobre o tempo e como ele nos afeta.

Buda separou o tempo em dois aspectos:

1 – Tempo psicológico

2 – Tempo Eterno

No tempo psicológico o homem está sempre sentindo carência de algo pois ou está a relembrar vivencias passadas e procurando repeti-las ou esquece-las, ou então está projetando no futuro algum desejo de que algo aconteça.

Neste tipo de tempo sempre falta algo, acabamos por esquecer o que estamos fazendo pois perdemo-nos em nossas fantasias projetadas para frente ou para trás na linha do tempo.

Um exemlo clássico é o trabalhador que entra em férias em 15 dias e pode ter certeza que este trabalhador vai ficar ansiando suas férias durante 15 dias desesperadamente. O pior nem é isto e sim o fato de que uma vez nas férias este homem novamente estará sofrendo pensando em quantos dias faltam para acabar suas férias.

Ja no tempo eterno há um sentido de infinito, não há pressa pois sempre existiu e sempre existirá, não há desespero, existe apenas o SER, o presente eterno.

Este sentido de eternidade não é tão facil de definir em palavras quanto o tempo psicológico pois vai além da razão e entra no plano do EU SOU.

Ainda assim, sempre conseguimos tocar de relance o mistério, assenar para ele e perceber sua existência mais além das formas.

A!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *