Qual é o meu Destino? A Astrologia pode Ajudar?

A Tradição Grega Arcaica nos conta que o rumo ou destino da vida de cada indivíduo da cidade era pautada pelas influências astrológicas.

A Astrologia na Grécia Arcaica, determinava desde o nascimento do indivíduo,  quais os astros regiam a sua vida, aos quais o destino dele seria diretamente vinculado. A começar pela escolha do nome deste indivíduo que era escolhido da seguinte forma:

Naquela época existia o Oráculo de Delphos, onde ficava o Tempĺo de Apolo, o Deus da Luz e da Beleza. Neste templo ficava a Pitonisa que representava a voz do Deus.

Se “consultando” com o oráculo, a criança recebia um nome de acordo com as influências astrológicas do momento do seu nascimento.

Cada Astro também representava potências divinas que concediam certos dotes e virtudes ou talentos a criança, eram estes talentos que deveriam ser trabalhados por toda a vida deste indivíduo.

Na passagem da infância para a vida adulta, o jovem deveria apresentar-se perante a cidade e fazer um discurso decor (que a raiz da palavra vem de coração), explicando quais eram seus talentos e de que forma eles seriam colocados a serviço da cidade de forma altruísta.

Ao contrário da Grécia Arcaica ou até mesmo a Grécia Clássica, que é o tempo em que viveu Sócrates e Platão, em nossos dias atuais, nascemos, vivemos e morremos sem ter a menor noção de qual é o nosso destino a cumprir e qual a nossa missão nesta vida.

Muito se deve é claro aos nossos governantes que já não servem nem protegem a muito tempo, apenas se dedicando a roubar e usurpar para si próprio. Mas isto não quer dizer que não possamos refletir e aprofundar quais são nossos talentos e a qual Deus nos assemelhamos, de quem somos filhos astrais.

  • A Apolo se nos atrai a beleza e a verdade.
  • A Athena se gostamos da sabedoria.
  • A Arthemis se somos identificados com a Natureza e suas expressões.
  • A Ares se temos o ímpeto guerreiro de vontade e transposição de obstáculos.
  • A Dionísio se temos a predisposição à alegria e desprendimento.
  • A Afrodite se somos dedicados ao amor e a afeição aos demais.

Enfim, vale a pena olhar para traz, para os nossos antepassados, e buscar o que de mais belo e verdadeiro podemos aprender com eles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *